Junho, o mês do orgulho (em gráficos)

A 28 de Junho de cada ano celebram-se as manifestações de Stonewall que, este ano, celebram 50 anos de existência. Por isto, em várias cidades do mundo, várias pessoas se juntam para celebrar o início da reivindicação dos Direitos Humanos das pessoas gays, bissexuais, intersexo, trans, asexuais e todas as outras diversidades sexuais e de identidades.

Apesar de ser um momento de celebração em alguns países, o mesmo não acontece noutros pontos do mundo onde, por exemplo, a homossexualidade é ainda crime e as pessoas condenadas à morte (são dez: Qatar, Arábia Saudita, Mauritânia, Nigéria, Sudão, Somália, Yemen, Irão, Afeganistão e Brunei). Este dia serve não só para celebrarmos os direitos já adquiridos mas também para reivindicar os que ainda não foram alcançados. Serve também para evidenciar que, não obstante o progresso alcançado, ainda existe vergonha e receio de algumas pessoas se mostrarem como realmente são, especialmente em sectores como o político. (A título de exemplo, até ao momento, apenas 4 líderes políticos se assumiram como gay ou lésbica – Primeiros Ministros/as da Islândia, Irlanda, Bélgica e Luxemburgo).

A partir deste link da statista pode perceber melhor como estão desenvolvidos (ou não) os direitos das pessoas LGBTI+ .