Sobre a ciência do lucro e a responsabilidade social

Será que faz mesmo bem às empresas serem responsáveis? O que muda nas empresas quando estas se tornam mais responsáveis?

“Portugal é um caso de sucesso a nível mundial na área da inovação social, sendo um dos sete países no mundo que conseguiu nota máxima na política nacional neste campo” escreve João Cotter Salvado, no Observador.

De acordo com os dados disponibilizados pela KPMG, a responsabilidade social corporativa tem vindo a fazer parte do funcionamento das organizações tendo em consideração que são muitas as iniciativas reportadas.

Para tal, têm existido várias organizações da sociedade civil que têm impulsionado esta área, como é o caso do   Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial (GRACE) ou a Social Business School (IES).

São inúmeros  os benefícios do investimento nesta área, desde o fortalecimento de relações importantes com colaboradores, clientes e investidores, o desenvolvimento de aspetos menos tangíveis do negócio (ex: a capacidade de a empresa se diferenciar e inovar, a sua reputação ou a sua cultura) bem como a melhoria dos resultados financeiros.

Conheça este artigo detalhadamente, encontrando a resposta às questões acima colocadas.